domingo, 8 de novembro de 2009

José de Ribera

José de Ribera (Valência 17.2.1591 - Nápoles 2.9.1652) foi um pintor espanhol, também conhecido como Jusepe/Giuseppe de Ribera em Itália ou Lo Spagnoletto, país este onde viveu desde muito jovem e do qual nunca voltou.
Ribera foi um pintor destacado da escola espanhola, embora a sua obra tenha atingido o seu auge em Itália.
Em 1616 estabeleceu-se definitivamente em Nápoles, onde obteve a protecção dos vice-reis Osuna, o que lhe permitiu abrir um atelier e alcançar grande popularidade e prestígio.
Há que distinguir três períodos na sua obra: o de formação (1620-1630), em que usou as cores escuras e os matizes fortes de luz e sombra (Martírio de Santo André 1628, Museu das Belas-Artes, Budapeste; S. Sebastião 1628, Ermitage); a fase da maturidade (1635-1639), caracterizada pelos profundos estudos de luz, bem como pela procura do naturalismo, com abandono progressivo dos efeitos claro-escuro (O Sonho de Jacob 1639, A Trindade 1637, Museu do Prado), e uma última fase pictórica (1640-1652), de um estilo mais doce e aprazível, tanto na criação das formas como no emprego da cor (A Adoração dos Pastores 1650). De 1621 a 1626 dedicou-se à gravura, técnica que cultivou com grande mestria, firmeza de traço e precisão no desenho.


Se tiverem oportunidade pesquisem mais sobre este maravilhoso artista, a sua pintura ao vivo é de uma expressividade sem limites e de uma força inquestionável.
Aqui ficam alguns exemplos de trabalhos deste artista: